Filtros de linhas e estabilizadores são acessórios criados para impedir que surtos de tensão danifiquem equipamentos eletrônicos. Embora tenham funções parecidas, os dois dispositivos apresentam diferenças em termos de funcionalidades e preço, com vantagens e desvantagens para os dois lados. A seguir, você vai entender para que cada um serve, como cada um deles age na hora de defender seus eletrônicos de problemas de energia e entender qual deles é a melhor opção para prevenir desastres causados pro sobrecargas na sua rede elétrica.

 

O que é um filtro de linha?

Um filtro de linha é um componente que se posiciona entre a tomada da parede e a fonte do seu computador com a responsabilidade de impedir que flutuações na corrente elétrica passem diretamente ao seu sistema, daí o nome de filtro.

O acessório conta com uma série de componentes elétricos que previnem que essas flutuações causem danos: caso uma descarga elétrica de alta intensidade seja liberada pela linha em que seu computador está ligado, o filtro de linha irá se sacrificar, queimando fusíveis e o que mais for necessário para impedir que essa carga violenta chegue ao seu computador e provoque danos à fonte, ou até mesmo a outros componentes em casos extremos.

Como fusíveis são bem baratinhos e fáceis de trocar, um filtro de linha acaba sendo um acessório de segurança bastante útil. Além disso, a oferta de várias tomadas numa mesma régua torna o uso conveniente em lugares que possuem inúmeros eletrônicos: PC, TV, monitor, videogame, sistema de som e etc.
Em geral, filtros de linha confiáveis têm preços começando na casa dos R$ 30.

 

E o estabilizador?

O estabilizador tem função semelhante, mas ataca o problema com outras ferramentas. A ideia desse acessório é garantir que a energia que sai em direção à fonte do seu computador seja limpa de interferências e flutuações, aproximando-se o máximo possível de uma corrente alternada de 115 volts o tempo todo. Assim como um filtro de linha, no caso de um surto catastrófico de tensão, o estabilizador vai queimar fusíveis antes de deixar que a sobrecarga estrague sua fonte e seu computador.

De uma forma bem simples e resumida, um estabilizador funciona com um transformador interno, alternando a corrente que sai em direção ao computador, eliminando oscilações de sub ou sobretensão para garantir a alimentação mais estável possível. Isso significa que, ao contrário do filtro, o estabilizador pode ajudar seu computador a ficar funcionando por mais alguns instantes, antes de desligar por falta de eletricidade. Esses instantes podem ser importantes para salvar aquele documento.

Há quem critique esse tipo de aparelho por conta do fato de que esse comportamento causa pequenas interrupções no suprimento de energia: se a corrente sofre alguma oscilação, o estabilizador produz um pequeno curto-circuito para alternar a corrente internamente, produzindo aquele ruído típico: “tec-tec”. Durante esse pequeno espaço de tempo, a fonte do computador fica sem energia. Há quem sustente que essas interrupções, somadas ao longo do tempo, acabam danificando a fonte do PC, encurtando a sua vida útil. Por outro lado, há quem afirme que elas não prejudicam o seu sistema desde que o estabilizador seja de boa qualidade e que não sejam frequentes demais: se forem, o seu problema é mais grave e a instalação elétrica da sua residência ou escritório deve ser revista.

Se o estabilizador interrompe a corrente por esses pequenos intervalos, como o computador não desliga? Isso ocorre porque a fonte possui pequenos capacitores (como baterias, capacitores armazenam energia), que são acionados para manter o computador operando durante esses intervalos medidos na casa dos milissegundos.

Com relação a preços, bons estabilizadores podem ser encontrados a partir de R$ 50.

Procure qualidade
Uma dica fundamental é buscar produtos que possuam selos do Inmetro. A verificação por parte do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia garante que os dispositivos foram testados em condições de uso que se assemelham àquelas presentes nas residências e escritórios brasileiros.

Qual é o melhor?
Os dois tipos de acessório cumprem funções parecidas no sentido de proteger os seus equipamentos das oscilações de tensão, comuns nas redes brasileiras. Entretanto, o filtro de linha tem um comportamento mais passivo: ele só é acionado para prevenir que uma sobrecarga danifique os equipamentos ligados a ele.

O estabilizador tem função semelhante, mas se comporta de forma mais ativa: o acessório fica o tempo todo alternando a saída de tensão para tentar garantir um suprimento de energia o mais estável possível. Além disso, também impede que surtos de tensão destruam a fonte do PC por conta de fusíveis e outros componentes posicionados para desarmar o circuito nesses casos.

Independente de qual alternativa, o ideal é que você tenha algum tipo de intermediário entre sua linha e o computador como forma de proteção contra surtos. O filtro de linha cumpre essa função e, além de mais barato que um bom estabilizador, tem a vantagem de não ser criticado por conta de seu regime de operação e eventuais riscos de diminuição da vida útil da sua fonte.

 

Fonte: Techtudo

Sobre a Webglobe
A Webglobe realiza a gestão da infraestrutura de tecnologia de empresas, alinhando a tecnologia com os negócios dos nossos clientes para gerar melhores resultados.

Nosso fluxo de trabalho é baseado em processos e nossa gestão é apoiada nas boas práticas de ITIL e COBIT, permitindo entregar serviços gerenciados de tecnologia com qualidade, segurança e previsão de investimentos.

Visite: webglobe.com.br